Você está na cidade de são paulo! Se esta não for a cidade desejada Clique Aqui.


Navegue utilizando um dos campos de busca abaixo e encontre a melhor escola para seus filhos! Experimente, é de graça e sempre será!

Como prevenir e acabar com o Bullying nas escolas


Enquanto muitos pais supõem que o bullying nas escolas é um problema que ocorre apenas no ensino médio, o fato é que as escolas e os pais devem tomar medidas para prevenir e acabar com o bullying desde cedo, no jardim da infância e ensino primário.

Ao ensinar as crianças sobre o que é bullying e os fatos sobre como e por que é prejudicial, os professores e os pais podem definir bases importantes para acabar com o comportamento (bullying) antes mesmo de começar.

O que é Bullying?

Bullying é definido como um comportamento agressivo intencional. Ele pode ser físico (como empurrar ou bater) ou verbal (ferir alguém com insultos ou comentários maldosos).

Em crianças mais novas o bullying pode frequentemente incluir a exclusão (uma criança que diz para outra que não quer brincar com ela e incentiva os colegas a fazerem o mesmo, por exemplo).

O bullying pode atingir crianças de qualquer idade, a partir do jardim da infância e ensino primário até o ensino médio.

Estudos mostram que cerca de 15% a 20% das crianças são vítimas de bullying  “às vezes ou frequentemente” e 15% a 20% admitem intimidar os colegas com alguma frequência, de acordo com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

Bullying na escola:

Apesar de problemas como o Cyberbullying serem menos frequentes na escola, o bullying ainda pode acontecer entre as crianças.

As crianças mais jovens são menos propensas a acessar sites de redes sociais ou celulares para trocar mensagens ofensivas. Eles podem, no entanto, encontrar um comportamento prejudicial no playground ou nas aulas.

O bullying entre as crianças mais jovens pode acontecer na forma de isolamento/exclusão, como quando um grupo de crianças concorda em não incluir um colega em seus jogos/brincadeiras. Algumas outras maneiras podem incluir agressão verbal, como xingamentos, ou agressões físicas, como empurrar ou bater.

As crianças que são alvo do bullying geralmente incluem aqueles que possuem algum tipo de deficiência ou crianças que não conseguem fazer amigos e tem pouco apoio social.

Uma pesquisa recente mostrou que a obesidade também é um fator de risco significativo para a criança se tornar vítima do bullying. Em alguns casos, a criança pode se tornar alvo de comportamento baseado em alguma característica marcante, como seu nome.

O que os pais podem fazer para prevenir o Bullying?

Fique conectado com seu filho. Quanto mais você souber sobre seus amigos e os detalhes sobre seu relacionamento com os colegas, mais fácil será fazer a detecção de qualquer alteração nas interações sociais da criança.

Converse com seu filho todos os dias específicamente sobre assuntos relacionados a escola e as atividades do dia, como: com quem a criança tomou seu lanche ou qual foi a pior parte do seu dia. Essa é uma forma importante de estabelecer uma boa comunicação com seu filho para que ele saiba que pode contar com seu apoio quando houver algum problema.

Explique ao seu filho o que é Bullying:

As crianças entendem que bater ou empurrar um colega está errado (por isso mesmo vão tentar ser agressivas com as outras crianças quando professores e outros adultos não estiverem olhando). Mas você também pode explicar que outras formas de bullying, como excluir e ignorar alguém, também pode ser prejudicial.

Diga para a criança o que fazer caso testemunhe alguma situação de Bullying:

Estabelecer e rever periodicamente com seu filho os conceitos básicos sobre o que fazer se encontrar um comportamento prejudicial dirigido a ele ou algum colega.

Diga para a criança alertar imediatamente aos professores, pois é uma forma importante de impedir que alguém se machuque.

Ensinar para a criança a importância da Empatia:

Uma pesquisa mostrou que as habilidades de inteligência emocional e empatia podem ser mais importantes para o sucesso na vida do que a inteligência intelectual.

Uma criança capaz de entender como o outro se sente ao ser intimidado, pode entender e regular suas próprias emoções e se tornar menos propensa a se envolver nesse comportamento.

Dê um bom exemplo:

Você tem o hábito de rir de outras pessoas ou falar mal delas na frente do seu filho? Alguma vez você já foi rude ao falar com um garçom no restaurante ou balconista de loja?

Mesmo que você ache que seus filhos não estão ouvindo e observando seu comportamento, o fato é que as crianças aprendem muito sobre como se comportar observando seus pais.

Olhe para os sinais de alerta de que seu filho pode ser vítima de Bullying:

A criança não quer ir para a escola? Você está observando mudanças de comportamento como agressividade ou problemas emocionais, como ansiedade ou depressão?

As crianças podem não querer se abrir com os pais sobre os problemas, mas há sinais que podem ser observados pelos pais se eles suspeitam que seu filho é vítima de bullying na escola.

Fale com a escola sobre o que os professores podem fazer e sobre ações para impedir que o bullying aconteça. Você pode dizer aos professores sobre suas preocupações e pedir para que fiquem atentos às interações entre a criança e seus colegas.

Diga ao professor para notificar ao diretor da escola sobre suas preocupações.


Notícias

Veja todas as notícias